segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

"O OUVINTE DESAFORADO"

Era um programa de rádio de uma cidadezinha do interior e era um dia de promoção. O locutor diz:
— Atenção, queridos ouvintes! Quem ligar agora e fizer uma frase com uma palavra que não exista no dicionário ganha duas entradas para o cinema.
Em menos de um minuto toca o telefone.
— Alô, quem é?
O ouvinte responde:
— Sérgio, do Jardim Sabará.
— Olá, Sérgio! Já conhece a brincadeira?
— Sim, conheço.
— E qual é a sua palavra?
— Ah! A palavra é vaite!
— Vaite? Como escreve?
— V-A-I-T-E.
— Espera um pouco, deixa eu consultar o dicionário... É, realmente esta palavra não existe. Agora faça uma frase com essa palavra e se a frase fizer sentido e descobrirmos o que significa a palavra você ganha!
— Ok, lá vai... Vaite catar! Hahaha!
E nesse momento desliga o telefone.
Locutor:
— Que é isso, pessoal! Vamos colaborar! Afinal, há crianças ouvindo... Vamos tentar outra ligação.
Nisso o telefone toca.
— Alô! Quem é?
— Joselito, do Partenon!
—  Olá, Joselito... Já conhece a brincadeira? Qual é a sua palavra?
— Eudi.
— Eudi? Como se escreve?
— E-U-D-I.
O locutor pede ao ouvinte  para esperar um pouco...
— Deixa eu consultar o dicionário... Deixa eu ver... Deixa eu ver... eudema... Eudes.... eudósia... eudiapneustia... eudiapnêustico... É, realmente esta palavra não existe. Agora faça uma frase com essa palavra e se fizer sentido você ganha!
— Ok, lá vai... Sou Eudi novo! E Vaite catar!