sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

LIMÃO E PROBLEMAS DIGESTIVOS - Conceição Trucom


Conforme explicado no livro O Poder de cura do Limão, esta fantástica fruta apresenta, além das suas várias propriedades terapêuticas de uso externo as seguintes funções terapêuticas de uso interno:
Adstringente - quando ajuda a eliminar gases, excesso de "gorduras", como também na contenção de hemorragias em cortes ou escoriações;
Alcalinizante - quando alcaliniza o pH do sangue e de todos os demais líquidos corporais (linfa, líquido crânio sacral, líquidos intra-celulares e instersticiais);
Antibacteriano e antivirótico - uma antibiótico natural, contém o avanço de infecções internas, inclusive no sistema digestivo, fígado, pulmões, bexiga e rins;
Mineralizante - quando ajuda o organismo a fixar sais minerais como ferro, cálcio e magnésio;
Depurativo - quando ajuda na depuração (limpeza) do sangue e acelera a capacidade metabólica da eliminação de toxinas através dos 5 sistemas excretores.
E todas estas propriedades acabam por reverberar na maior plenitude da capacidade digestiva do organismo como um todo :
- Aproveitar massivamente o alimento (=nutrir-se),
- Digerir - Dissolver gorduras,
- Dissolver gases como os da fermentação,
- Excretar venenos, toxinas e subprodutos naturais da digestão e,
- "Acordar", para funcionarem de forma plena e integrada, todos os órgãos e vísceras que fazem parte do sistema digestivo.
A maioria das pessoas pensa que, pelo limão apresentar sabor ácido, causa danos ao estômago e portanto, deve ser evitado no tratamento de todo tipo de acidez ou problemas digestivos.
Entretanto, o limão com seu elevado teor de ácido cítrico e citratos, uma vez ingerido, deixa de apresentar propriedade ácida porque, estimula a produção de citratos e outros sais orgânicos, portanto sais alcalinos, promovendo rapidamente a neutralização da acidez localizada e alcalinização (pH 7,36 a 7,42) do sangue e demais líquidos corporais.
O fato é que o limão, facilmente transformado em sais alcalinos, age como um bloqueador de prótons, ou seja, um Omeprazol Natural. O Omeprazol é um remédio alopático cuja função é bloquear prótons (acidez). O suco do limão, com seu elevado teor de ácido cítrico (5 a 7%), é um agente complexante e tamponante, que funciona como um bloqueador de prótons "natural", neutralizando estes ácidos, estabilizando o meio em pH levemente alcalino. A vantagem do limão sobre o Omeprazol são muitas porque ele vai muito além de somente sequestrar prótons. Fazendo uma analogia, tal propriedade só "abaixa a febre", não cura a "infecção".
Assim, comparando somente esta função, o ácido cítrico do limão neutraliza a acidez e ESTABILIZA o meio num pH levemente alcalino. A esta estabilidade dá-se o nome de "tamponar". Na condição levemente alcalina ocorre a dificuldade para a presença de bactérias, ou seja, o limão acumula a função de ser um antibiótico natural.
O limão funciona também como um cicatrizante das mucosas agredidas pela acidez, proporcionando um ambiente favorável à cura das úlceras. Por último, o suco natural e fresco do limão atua como um agente adstringente (detergente), dissolvendo gorduras e evitando grandes formações de gases, um fenômeno do refluxo esofágico.
Enfim, com uma sábia orientação terapêutica e o consumo diário de limão consegue-se prevenir, amenizar e até curar doenças reputadas como incuráveis.
O uso interno das diversas formas saudáveis de preparo do limão é muito útil na regeneração dos tecidos inflamados das mucosas, reconduzindo ao estado e funcionamento normal de todos os órgãos do aparelho digestivo.
Adequadamente usado, o limão tem o poder de cicatrizar as úlceras do estômago e evitar a sua formação, pois destrói os germes e as bactérias nocivas que contribuem para gerar as ulcerações.
O limão combate as fermentações e os gases, tão comuns em problemas digestivos causados por mastigação inadequada, ou também pelo consumo excessivo de açúcar, frituras e alimentos muito industrializados.
Combate dores de estômago, ventre e rins, bem como a falta de secreção de sucos pelas glândulas da boca, estômago e vesícula.
Quem consome o limão diariamente neutraliza e controla o excesso de bile, fazendo um bem extraordinário ao fígado, além de lubrificar as paredes da vesícula, evitando a formação de pedras no seu interior. Ajuda no tratamento das infecções e demais dificuldades hepáticas. É um amigo do pâncreas e, malgrado certas apreensões quanto a supostas incompatibilidades com o sistema biliar, revela-se um expurgador e um tonificante do fígado e da vesícula.
Interessante ressaltar que a milenar medicina Ayurvédica, a mãe de todas as medicinas, trata a maioria das dificuldades digestivas com receitas à base de limão. Vejamos o que ela sugere para tratar:
Todo tipo de acidez ou gastrite: em jejum, após as atividades matinais de meditação, tomar o suco fresco de 1 limão diluído em meio copo de água morna e uma pitada de sal marinho.
Todo tipo de indisposição estomacal ou indigestão: tomar o suco fresco de 1 limão num copo cheio de água morna, ao qual foi adicionada uma pitada de sal preto ou marinho e uma pitada de pimenta do reino preta moída na hora.
Todo tipo de náusea: cortar 1 limão ao meio e aquecer as 2 metades com a parte aberta sobre uma frigideira aquecendo-as até que ferva o suco dentro da fruta. Salpicar sal marinho sobre uma das metades e mel sobre a outra e chupar o suco de ambas as metades.
Azia: espremer o suco de 1 limão em meio copo com água fresca e beber imediatamente.
Colite: tomar 3 vezes por dia um copo de água fresca com o suco de meio limão.
Dor de estômago: CHOORAN = pó digestivo: bata no liquidificador 75 gramas de sementes (ou folhas secas) de orégano + 150 gramas de sementes de erva-doce + 1 colher de sobremesa de sal marinho. Moa os 3 juntos até obter um pó fino. Coloque o pó sobre um pirex, junte o suco fresco de 3-4 limões sobre o pó obtido e misture (com uma colher de pau ou cerâmica) até obter uma pasta. Cubra com um filó e deixe secar no sol. Triture novamente no liquidificador e guarde num frasco escuro com tampa. Acrescente a meio copo de água morna 1/2 colher de chá deste pó, mexa e beba logo após uma refeição principal ou lanche. Pode ser pulverizado também sobre saladas, arroz, patês e outros alimentos da refeição