terça-feira, 28 de outubro de 2014

Ospa revisita obras de Mozart e Schumann em concerto oficial


Na próxima terça-feira, dia 4 de novembro, às 20h30, a orquestra se apresenta sob a batuta de Tiago Flores no Salão de Atos da UFRGS. O concerto, que conta com a participação dos solistas Emerson Kretschmer (violino) e Vladimir Romanov (viola), presta homenagem aos 40 anos da Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore.

Ao chegar ao 18º concerto da sua série oficial de 2014, a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre destaca em seu repertório a “Sinfonia concertante para violino e viola”, de Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791), e a “Sinfonia nº 3”, de Robert Schumann (1810-1856). O maestro Tiago Flores, diretor artístico da orquestra, rege os músicos na apresentação, que presta homenagem à Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore em seu aniversário de 40 anos. É na próxima terça-feira, dia 4 de novembro, às 20h30 no Salão de Atos da UFRGS.

A primeira obra do programa é uma das mais famosas composições escritas na forma da sinfonia concertante – gênero derivado das tradições da sinfonia e do concerto. É também considerada um dos mais importantes trabalhos de Mozart para cordas. Foi composta em 1779, em Salzburgo, um pouco antes de o músico austríaco romper seu vínculo com a corte, inaugurando uma nova página na história da música ao abrir espaço para a liberdade do compositor. Um componente fundamental da sua maestria é o íntimo conhecimento que Mozart tinha de seus instrumentos solos, o violino e a viola. O violinista Emerson Kretschmer e o violista Vladimir Romanov serão os solistas responsáveis por traduzir a sua riqueza no palco da UFRGS.

Na segunda parte da noite, a orquestra avança para a metade do século XIX ao revisitar a terceira sinfonia de Schumann, expoente do romantismo musical alemão. A obra, composta em 1850 em Düsseldorf, no vale do Reno, foi caracterizada pelo seu autor como “um pedaço da vida à beira do rio”. Nela o compositor sugere, usando a paleta orquestral, uma das mais belas paisagens musicais românticas da Alemanha. Schumann conduziu a primeira performance da peça em 1851, três anos antes de ser internado em um manicômio devido ao avanço de sua doença mental.

Os ingressos para o concerto começam a ser vendidos no dia anterior ao evento, no Salão de Atos da UFRGS, por R$ 20. Estudantes, idosos e titulares do cartão Clube do Assinante ZH têm 50% de desconto. Mais informações pelo site www.ospa.org.br ou pelo telefone32227387.


Tiago Flores (regente)
Tiago Flores é o atual diretor artístico da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre. Graduado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul sob a orientação de Arlindo Teixeira, especializou-se em regência orquestral em São Petersburgo (Rússia) com Victor Fedotov. Participou de cursos, oficinas e festivais com Kurt Redel (Alemanha) e Lutero Rodrigues e venceu o concurso Jovens Regentes promovido pela Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (OSPA). Como regente convidado atuou à frente de orquestras como Filarmonica de Montevidéu (Uruguai), Orquestra de Câmara de Caracas (Venezuela), Orquestra Sinfônica do Estado do México (México), Solistas di Napoli (Itália), Orquestra Sinfônica de Grosseto (Itália), Kaerten Sinphonie Orchestra (Áustria) e Orquestra de Câmara da Lituânia. No Brasil regeu a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional (Brasília), Orquestra Sinfônica do Paraná, Orquestra Sinfônica da Bahia, Orquestra Sinfônica de Campinas, Orquestra de Câmara de Blumenau, Orquestra Sinfônica da UCS, Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho (Fortaleza) e Orquestra Sinfônica do Mato Grosso.  Foi diretor artístico da OSPA entre 1999 e 2001. Regente da Orquestra de Câmara da ULBRA desde sua fundação, vem recebendo inúmeros elogios da crítica especializada, destacando-se como grande incentivador da nova música e tendo contribuído, em muito, para o reconhecimento do conjunto como um dos melhores do gênero no país. Recebeu o prêmio Melhores da Cultura 2005, conferido pela Secretaria da Cultura do Estado do Rio Grande do Sul, prêmio Açorianos de Melhor CD Instrumental em 2006, e premio Açorianos de Melhor Espetáculo 2008 com o Show "Beatles - Magical Classical Tour. 

Emerson Kretschmer (solista)
Graduado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Iniciou seus estudos musicais aos cinco anos de idade. Foi professor substituto na Ufrgs, depois partiu para curso de especialização na Internationale Sommerakademie Mozarteum em Salzburg, na Áustria. Tem atuado como solista em várias orquestras, entre elas a Ospa; Orquestra de Câmara da Ulbra; Orquestra da Unisinos; e Orquestra Sinfônica de Caxias do Sul. Participou como solista das gravações de vários CDs de orquestras sul-rio-grandenses, bem como das trilhas sonoras dos filmes “Concerto Campestre” e “Sal de Prata”. Em agosto de 2000, realizou turnê pela Europa como integrante da Orquestra de Câmara Solistas de Salzburg. No ano de 2006, em turnê realizada pela Argentina, recebeu nota máxima de cinco estrelas do crítico Héctor Coda, que escreveu no jornal La Nación: “(…) Com um arco seguro e com um som maravilhoso, o solista desempenhou uma performance ao nível dos grandes solistas”. Em abril de 2006, ganhou o concurso para spalla da Ospa, realizado pelo maestro Issac Karabtchevsky. Ocupa também o posto de spalla da Orquestra de Câmara da Ulbra.

Vladimir Romanov (solista)
Nascido na Bielorrússia, estudou na Escola de Música de Molodechno, onde se especializou como violista, músico de orquestra e professor. Completou sua formação na Academia de Música de Lunacharsky, onde se formou como músico de câmara, licenciado e solista de orquestra. Integrou a Orquestra do Teatro Ópera e Ballet da República da Bielorrússia, em Minsk; o Grupo de Câmara da Filarmônica da Bielorrússia; e a Orquestra da Ópera da Academia de Minsk, como chefe de naipe. Participou de diversas orquestras de Minsk, com as quais fez apresentações na Alemanha, na Áustria, na Noruega, na Itália e na Coreia do Norte. Transferiu-se para o Brasil em 1997, quando foi contratado pela Orquestra Amazonas Filarmônica, em Manaus. Lá permaneceu até 2004, quando venceu o concurso público para chefe de naipe das violas da Ospa. Em seu país natal, lecionou na Escola de Música de Molodechno e na Academia de Música de Lunacharsky. No Brasil, deu aulas no Centro Cultural Cláudio Santoro, em Manaus. Em 2005, tornou-se membro também da Orquestra de Câmara da Ulbra, como chefe de naipe das violas.


A Ospa é uma das fundações vinculadas à Secretaria da Cultura do Governo do Rio Grande do Sul (Sedac/RS). Os concertos da temporada 2014 são patrocinados, via Lei Federal de Incentivo à Cultura, por Vonpar, Ipiranga, Gerdau, Souza Cruz e Brasília Guaíba. Apoio de Stihl e Vinícola Guatambu. A realização é de Ospa, Fundação Cultural Pablo Komlós e Sedac/RS.

O que: 18º Concerto Oficial da Ospa
Quando: Dia 4 de novembro, terça-feira, às 20h30
Onde: Salão de Atos da UFRGS (Av. Paulo Gama, 110 - Porto Alegre-RS)
Ingressos: À venda no local a partir do dia 3 de novembro
Valores: R$ 20 (público em geral) e R$ 10 (estudantes, seniores e sócios do Clube do Assinante ZH).
Horário da bilheteria: Segunda-feira, dia 3 de novembro, das 11h às 18h, e terça-feira, dia 4 de novembro, das 11h até a hora do espetáculo.

Programa
Wolfgang Amadeus Mozart: Sinfonia concertante para violino e viola
Robert Schumann: Sinfonia n° 3

Solistas
Emerson Kretschmer (violino) e Vladimir Romanov (viola)

Regente: Tiago Flores