quinta-feira, 4 de junho de 2015

O CANTO LATINO DE CLARY COSTA





Clary Costa nasceu em Passo Fundo/RS e desde pequena cantava em casa com a mãe. Aos 13 anos, começa a cantar com seu pai em bailes e festas. Aos 17 anos se casa com o multi-instrumentista, cantor e compositor Algacir Costa e com ele forma o grupo musical Os Fronteiriços – um dos maiores grupos vocais da década de 80 e 90 e precursores do intercâmbio entre Brasil, Argentina e Paraguai. O grupo gravou sete discos, participou de mais de 25 festivais pelo Rio Grande do Sul e recebeu inúmeros troféus de melhor grupo vocal e instrumental. Além de shows no sul, os Fronteiriços apresentaram-se pelo Brasil nos estados do Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul – inaugurando o CTG de Ponta Porã. Durante um período em Recife/PE, contagiaram e levaram o povo nordestino a dançar e cantar ao som da música latino-americana. Em 1982, representaram o Brasil na Europa no Festival Internacional de Santarém/Portugal. Em 1990, o grupo encerra suas atividades, e Clary decide se dedicar exclusivamente à faculdade de Serviço Social PUCRS, em Porto Alegre.

Em 2005, Clary Costa volta à atividade artística, cantando a música de fronteira – Brasil, Argentina e Paraguai.

Em 2009, participa de vários projetos e grava seu primeiro cd solo, produzido no Rio de
Janeiro por seu filho, Yamandu Costa, com a participação de músicos importantes, como Guto Wirtt (violão seis cordas, violão sete cordas, contrabaixo e xilofone), Vítor
Gonçalves (acordeom), Bebe Kramer (acordeom), Joana Queiroz (clarone e clarinete),
Nicolás Krassik (violino) e Luís Barcelos (bandolim). Yamandu, além de produzir, toca
violão sete cordas e violão tenor. A surpresa é que ele também canta uma música com a
sua mãe. O disco com lançamento no segundo semestre de 2012.



Contato
(51) 9139.4387 | 9518.6489