quarta-feira, 5 de junho de 2013


O CURANDEIRO

Me empresta tuas ervas e as tuas raízes
Pra que eu alivie a dor de um irmão
Me empresta tuas águas que correm na sanga
E o fogo que ferve a bendita infusão

Eu peço licença aos seres da mata
Com toda a humildade do meu coração
Me mostrem as plantas que curam os males
Que eu venho de longe trazendo a missão.

Sou só um instrumento da sabedoria
Não faço magia nem tenho poder
A cada vivente que amenizo as dores
Parece que a alma se veste de flores
E a mãe natureza me ensina a viver.
(Jadir Oliveira)